logo

BANDEIRA VERMELHA

Agência Nacional de Energia Elétrica anuncia nesta terça-feira aumento na conta de luz


Por Redação Popular Online/METRÓPOLES

img

Divulgação Internet

A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) informou que a conta de luz deverá seguir com a taxa extra mais elevada em julho. Caso isso ocorra, esse será o terceiro aumento do ano.
 

Agora, o país paga o valor da bandeira vermelha patamar dois, com tarifa de R$ 6,24 a mais a cada 100 quilowatts/hora (kWh) consumidos. Nesta terça-feira (29/6), no entanto, a diretoria da Aneel fará reunião para definir o novo valor da taxa.
 

De acordo com o diretor-geral da agência, André Pepitone, a bandeira vermelha dois terá reajuste superior a 20%, ultrapassando R$ 7,50.
 

“Julho inicia-se com a mesma perspectiva hidrológica desfavorável, com os principais reservatórios do SIN [Sistema Interligado Nacional] em níveis consideravelmente baixos para essa época do ano, o que sinaliza horizonte com reduzida capacidade de produção hidrelétrica e elevada necessidade de acionamento de recursos termelétricos”, explicou a agência por meio de uma nota divulgada, a qual o Metrópoles teve acesso.

 

Criado pela Aneel, o sistema de bandeiras tarifárias sinaliza o custo real da energia gerada. O funcionamento das bandeiras tarifárias é simples: as cores verde, amarela ou vermelha (nos patamares 1 e 2) indicam se a energia custará mais ou menos em função das condições de geração.
 

“Com o acionamento da bandeira vermelha em seu maior patamar, é importante reforçar aos consumidores ações relacionadas ao uso consciente e ao combate ao desperdício de energia”, afirmou.
 

Confira os aumentos de tarifa deste ano

De janeiro a abril de 2021: amarela

Maio 2021: vermelha patamar 1?

Junho 2021: vermelha patamar 2

Julho de 2021: vermelha patamar 2 (com reajuste)
 

Crise hídrica

A principal razão para a disparada da tarifa é a seca nas principais bacias hidrográficas que abastecem o país, por causa de um baixo volume de chuvas na região dos reservatórios do Sudeste e Centro-Oeste, que são responsáveis por 70% da geração de energia no Brasil. Desde outubro de 2020, esse é o menor volume registrado dos últimos 91 anos.
 

A crise hídrica obriga o uso das usinas termoelétricas, o que eleva o preço da energia e pressiona ainda mais a inflação.
 

O ministro da Economia, Paulo Guedes, reconheceu na semana passada que a estiagem é um problema “seríssimo” e que impactará no aumento da inflação no curto prazo. De acordo com sua previsão, somente em 2022 a situação será normalizada, com a inflação atingindo o centro da meta, de 3,5%.

Segundo o ministro, até o fim deste ano, o indicador deve bater entre 5,5% e 6%. O centro da meta perseguido, no entanto, é 3,75%. Será considerada cumprida se ficar entre 2,25% e 5,25%. Caso isso não ocorra, o Banco Central deverá divulgar um documento público com justificativas para o erro no resultado.
 

Por esse motivo, o medo de um possível racionamento de energia fica cada vez mais forte. O governo, entretanto, refuta essa possibilidade. O ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque, fez um pronunciamento na TV na noite dessa segunda-feira (28/6) para tranquilizar a população.
 

De acordo com Albuquerque, não haverá um racionamento de energia e também não há a possibilidade de apagões. O ministro, no entanto, pediu que a população diminua o consumo de energia de forma “voluntária”. “O uso consciente de água e energia reduzirá a pressão sobre o setor elétrico”, disse.


MATO GROSSO

Ampliado de 12 para 24 vezes o prazo para pagamento de contas de luz em atraso

A Energisa ampliou de 12 para 24 vezes o prazo para pagamento de contas de luz em atraso em Mato Grosso. A medida faz parte da segunda etapa da campanha da negociação com clientes que precisam de apoio para quitar dívidas. O parcelamento pode ser feito no cartão de crédito. Até agora mais de 62,5 mil famílias já optaram por...


HABILITAÇÃO

Prazo para regularização das CNHs vencidas desde março de 2020 continua suspenso

O Departamento Estadual de Trânsito (Detran-MT) informa que permanece suspenso, por tempo indeterminado, o prazo para a regularização das Carteiras Nacional de Habilitação (CNH) que estão vencidas desde 01 março de 2020. A suspensão do prazo para regularização do documento foi estipulada pela resolução nº 830/2021, de 12 de abril de 2021, do Conselho Nacional de Trânsito (Contran), que continua em...


FISCALIZAÇÃO

Deputado contesta avaliação de secretário e exige qualidade em recuperação asfáltica

A obra está sendo realizada pelo Governo do Estado na região Oeste de Mato Grosso

Ver mais

O que é Urgente, não pode esperar! Entre em nosso grupo do WhatsApp e receba alertas de notícias.