logo

Nacional

Neri Geller é o novo Ministro da Agricultura


Por Nathalia Passarinho,G1 em Brasília

img
O atual secretário de Política Agrícola do Ministério da Agricultura, Neri Geller, anunciou nesta quarta-feira (12) que foi convidado pela presidente Dilma Rousseff para assumir o comando da pasta. Ele deverá substituirá Antônio Andrade, deputado licenciado do PMDB de Minas Gerais, que deverá disputar as eleições em outubro.
 
Geller se reuniu com a presidente na tarde desta quarta e aceitou o convite, conforme a assessoria da pasta. A posse, conforme a assessoria de Geller, será na próxima sexta (14), quando possivelmente serão nomeados outros ministros, no bojo da reforma ministerial.
 
Após o encontro no Planalto, que também teve a participação do atual ministro da Agricultura, Geller foi à Câmara dos Deputados relatar a reunião com Dilma ao presidente da Casa, Henrique Eduardo Alves, que também é do PMDB.
 
Ao deixar a reunião com Henrique Alves, Neri Geller disse que sua indicação à pasta não contou com a participação da bancada do PMDB na Câmara.
"Fui indicado hoje pela presidente Dilma para assumir o ministério. Estou filiado ao PMDB, fui deputado federal, mas a indicação foi do atual ministro da Agricultura, para que eu desse sequência ao trabalho do ministério. Tenho uma ligação com o Congresso, mas não é indicação da bancada", afirmou o futuro ministro.
 
A nomeação dá seguimento à reforma ministerial, iniciada em janeiro deste ano e ainda não concluída devido, entre outros motivos, a uma crise do Planalto com a base aliada no Congresso, principalmente o PMDB.
 
O próprio Ministério da Agricultura, tradicionalmente ocupado por um deputado indicado pelo partido, foi recusado pela bancada, juntamente com o Ministério do Turismo.
Após a reunião na Câmara, Antonio Andrade negou que os "ânimos" possam se acirrar porque o partido não teve participação na escolha. Ele disse que se reuniu com Henrique Alves, juntamente com Geller, para agradecer o apoio da bancada do partido à sua gestão. O líder do PMDB na Câmara, Eduardo Cunha (RJ), e outros deputados peemedebistas estavam presentes, segundo Andrade.

"Ninguém se opôs, até pela competência dele. Os ânimos não vão ficar acirrados porque a presidente indicou o Neri. Se eu tivesse indicado outro nome, que não fosse do PMDB ou e que não fosse do setor, talvez a bancada ficasse contrariada, mas não aconteceu isso", afirmou.
 
 
Reação da bancada

Deputados do PMDB ouvidos pelo G1 disseram que a escolha de Geller não entra na "cota" da bancada. O líder do PMDB, Eduardo Cunha, afirmou ser "indiferente". Ele destacou que a bancada não escolheria nomes para qualquer pasta e que a indicação não influencia na crise entre a base aliada e o governo.
 
"Não achei nada. É indiferente. A bancada já havia decidido não indicar ninguém. A escolha não ajuda nem atrapalha", afirmou.
 
"Ele é da cota do PP", disse o deputado Leonardo Picciani (PMDB-RJ). Geller foi filiado ao PP, mas trocou de partido e ingressou no PMDB em outubro do ano passado.
 
O líder do PP, Eduardo da Fonte (PE), que estava ao lado de Picciani, negou que a indicação seja do partido. "Não, ele é da cota do PMDB. Mas se o PMDB não quiser, o PP quer. É um grande nome", afirmou.
 
Picciani então destacou que o PMDB já decidiu que não indicará nomes. O deputado Lúcio Vieira Lima (PMDB-BA) confirmou que a legenda não foi chamada para dar "aval" à indicação de Geller. "O PMDB não escolheu, não participou da indicação", disse.
Perfil

Neri Geller é gaúcho, natural da cidade de Selbach. Agricultor e empresário, foi vereador duas vezes pelo PSDB da cidade de Lucas do Rio Verde (MT), polo agrícola do Centro-Oeste, entre 1996 e 2004.
Na região desde 1984, desenvolveu atividade de plantio e comercialização de grãos, como soja e milho, em sua propriedade. Geller também tem empresa no setor de combustíveis.
 
Em 2007, foi eleito deputado federal, reelegendo-se em 2011. Em 2013, licenciou-se para assumir a Secretaria de Política Agrícola. Antes disso, exerceu o mandato de vereador em Lucas do Rio Verde (1996 e reeleito em 2000).
 
O atual ministro elogiou Neri Geller e disse que ele tem total apoio do setor agrícola. "O Neri desempenhado muito bem seu papel como secretário de Política Agrícola, com resultados espetaculares. É um secretário que me apoiou muito, me ajudou muito. A indicação dele vem de encontro aos interesses do agronegócio, vai ajudar muito a presidenta Dilma, vai ajudar muito o Ministério da Agricultura."
 
 
fonte: Nathalia Passarinho,G1 em Brasília

MATO GROSSO

Ampliado de 12 para 24 vezes o prazo para pagamento de contas de luz em atraso

A Energisa ampliou de 12 para 24 vezes o prazo para pagamento de contas de luz em atraso em Mato Grosso. A medida faz parte da segunda etapa da campanha da negociação com clientes que precisam de apoio para quitar dívidas. O parcelamento pode ser feito no cartão de crédito. Até agora mais de 62,5 mil famílias já optaram por...


HABILITAÇÃO

Prazo para regularização das CNHs vencidas desde março de 2020 continua suspenso

O Departamento Estadual de Trânsito (Detran-MT) informa que permanece suspenso, por tempo indeterminado, o prazo para a regularização das Carteiras Nacional de Habilitação (CNH) que estão vencidas desde 01 março de 2020. A suspensão do prazo para regularização do documento foi estipulada pela resolução nº 830/2021, de 12 de abril de 2021, do Conselho Nacional de Trânsito (Contran), que continua em...


FISCALIZAÇÃO

Deputado contesta avaliação de secretário e exige qualidade em recuperação asfáltica

A obra está sendo realizada pelo Governo do Estado na região Oeste de Mato Grosso

Ver mais

O que é Urgente, não pode esperar! Entre em nosso grupo do WhatsApp e receba alertas de notícias.