logo

BENEFÍCIO

Governo Federal estuda pagamento do auxílio emergencial no valor de R$ 200 por três meses


Por Gerson Camarotti

img

Divulgação Internet

O governo já estuda criar o Benefício de Inclusão Produtiva pelos próximos três meses para compensar o fim do auxílio emergencial. O valor de R$ 200 por mês será pago para até 30 milhões de pessoas que não tem carteira assinada e estão fora do Bolsa Família.
 

Também está em estudo um aumento transitório do valor médio para quem já recebe o Bolsa Família. A ideia é deixar explícita a separação entre assistência social e benefício pontual para o trabalhador.
 

Segundo uma fonte do governo, esses três meses serão uma espécie de “período de avaliação”. Caso a pandemia permaneça com o estágio de gravidade atual, com número elevado de mortes, teria que ser acionada uma “cláusula de emergência” com compensações para garantir o equilíbrio fiscal.
 

Nesses próximos dias, integrantes da equipe econômica e da articulação política do governo vão iniciar conversas com deputados e senadores para negociar aprovação imediata dessa cláusula dentro da PEC do Pacto Federativo.
 

“Se tiver um ano de guerra, teremos dois anos sem aumento de salário. Não podemos comprometer o futuro de filhos e netos”, disse um integrante da equipe econômica, resumindo o espírito dessa cláusula para períodos emergenciais como o de calamidade pública, onde haverá desindexação de salários entre outras medidas duras do ponto de vista fiscal.


O ministro da Economia, Paulo Guedes, já iniciou conversas nos últimos dias com os presidentes do Senado, Rodrigo Pacheco, e da Câmara, Arthur Lira sobre o cenário atual. Segundo relatos, o ministro já reconheceu que será preciso uma solução rápida para a crise, mas sem comprometer as futuras gerações. Nesta segunda, Guedes deverá se encontrar novamente com o senador Rodrigo Pacheco.
 

Segundo integrantes da equipe econômica, o protocolo de crise já foi acionado como no ano passado, com antecipação do 13º salário e do abono salarial. Mas para novos gastos, será preciso aprovar a cláusula emergencial por causa das limitações constitucionais do teto de gastos e da regra de ouro.
 

No ano passado, foi aprovada a PEC do Orçamento de Guerra, que permitiu o pagamento do auxílio emergencial e de outras medidas. Mas agora, o governo quer uma solução definitiva dentro do Pacto Federativo.
 

“Mesmo que o Pacto Federativo demore mais um pouco para aprovar, é fundamental que nesses três meses essa cláusula emergencial seja aprovada pelo Congresso. Não podemos ter uma farra fiscal ou um ambiente de irresponsabilidade”, alertou um integrante do governo.
 

“Precisamos ter um escudo para proteger as futuras gerações. Se não há coragem de fazer isso em tempo de paz, tem que fazer em tempo de guerra”, completou.


ATUALIDADES

Você já parou para analisar como esta sua saúde mental e a importância dela na sua vida?

No dia 28 de julho a ginasta Simone Biles tomou a decisão de retirar-se da competição individual geral nas Olimpíadas de Tóquio.O peso de ser a ginasta número 1 da atualidade não está só nas medalhas apoiadas em seu pescoço, mas também no corpo e na mente de Simone Biles. “Eu senti que elas precisavam avançar sem mim e elas fizeram...


REGIÃO OESTE

Vice-presidente da Comissão de Saúde da AL-MT, Dr. Gimenez encerra mês de julho com várias ações

O vice-presidente da Comissão de Saúde da Assembleia Legislativa de Mato Grosso (AL-MT), deputado estadual Dr. Gimenez (PV), encerra o mês de julho com várias ações que beneficia os municípios da região Oeste, com a entrega de veículos micro-ônibus em Figueirópolis d´Oeste, Porto Esperidião e São José dos Quatro Marcos.Para o município Quatromarquense, Dr. Gimenez destinou emenda parlamentar no valor...


OPERAÇÃO FARO FINO

PF desarticula organização voltada para o tráfico de drogas e cumpre mandados de prisão em Araputanga

A Polícia Federal, com apoio do Ministério Público do Distrito Federal e Territórios – MPDFT, deflagrou ontem, quarta-feira (28) a Operação Faro Fino, com o objetivo de desarticular uma organização criminosa voltada para o tráfico de drogas. Foram cumpridos dois mandados de prisão e dois mandados de busca e apreensão nas cidades de Cáceres e Araputanga, em Mato Grosso. As investigações...

Ver mais

O que é Urgente, não pode esperar! Entre em nosso grupo do WhatsApp e receba alertas de notícias.