logo

VACINAÇÃO DE PROFISSIONAIS

MPE aciona TJ e pede anulação de Lei que barra volta às aulas em Mato Grosso

Promotor explica que Legislativo tenta interferir no Executivo


Por Clênia Goreth | MP-MT

img

Imagem ilustrativa. (Foto: Banco de imagens pixabay)

O Ministério Público do Estado de Mato Grosso, por meio da Procuradoria-Geral de Justiça, ingressou nesta sexta-feira (09) com Ação Direta de Inconstitucionalidade requerendo, em pedido liminar, a suspensão do parágrafo 4º da Lei Estadual nº 11.367/21, aprovada nesta semana pela Assembleia Legislativa, que condiciona o retorno das aulas presenciais na Rede Estadual de Ensino à comprovação da imunização de todos os profissionais que atuam nas unidades escolares. A medida foi adotada em virtude de representação formulada pela 8ª Promotoria de Justiça Cível de Cuiabá.


Entre os argumentos apresentados para justificar a inconstitucionalidade do referido artigo está a violação ao Princípio da Separação dos Poderes estabelecido na Constituição Estadual. Consta na ADI que o dispositivo questionado, de iniciativa do Poder Legislativo, invadiu a competência do Poder Executivo ao intervir na definição do período de retorno das aulas presenciais da Rede Estadual de Ensino de Mato Grosso, apresentando, portanto, inconstitucionalidade formal por vício de iniciativa.


O MPMT destaca que a referida norma acabou criando uma determinação que não foi originada pelo Chefe do Poder Executivo, ou mesmo pela Secretaria de Estado de Educação, responsável pela formulação do calendário escolar e adoção de outras medidas que dizem respeito à educação em nível estadual. “Essa invasão de competência certamente ocasionará drástica alteração no calendário escolar, causando prejuízo aos alunos e às atividades escolares, sem mencionar que o dispositivo questionado não leva em consideração a Nota Técnica Conjunta SES/SEDUC/MT Nº. 002/20203, que versa sobre Recomendações Sanitárias para o Retorno Presencial das Atividades dos Estabelecimentos de Ensino no Estado de Mato Grosso”, diz um trecho da ação.


Outro ponto levantado diz respeito à violação aos princípios da proporcionalidade e razoabilidade. “A imposição de que o retorno das aulas somente será precedido da comprovação de imunização de todos os profissionais da Rede Estadual de Ensino destoa do teor que os referidos princípios revelam, haja vista que os demais servidores públicos do Estado encontram-se laborando de forma presencial sem que haja essa exigência, obedecendo, no entanto, às medidas sanitárias razoáveis de prevenção à Covid-19”, enfatizou.


Acrescenta ainda que a implementação da condição estabelecida para o retorno às aulas não depende exclusivamente do gestor público, pois não vincula à disponibilização das vacinas, mas sim à comprovação da imunização. Essa comprovação, destaca o MPE, “pode não ocorrer por ao menos dois motivos, quais sejam: a ausência de interesse em vacinar e escolhas por vacinas que acabam por adiar a vacinação”.


O MPMT também enfatiza violação ao direito constitucional à educação de qualidade. “A lei estabelece que as atividades educacionais são essenciais, entretanto, submete o seu retorno a uma condição que acaba por afetar a prestação do serviço público educacional, gerando prejuízo incomensurável aos estudantes, o que permite deduzir, outrossim, a violação ao direito constitucional à educação de qualidade, dificultando a igualdade de acesso e permanência na escola dos alunos da Rede Estadual de Educação”, sustentou a Procuradoria-Geral de Justiça.


Inicialmente, o retorno das aulas presenciais na Rede Estadual de Educação estava previsto para o dia 03 de agosto. “Caso não seja concedida a medida liminar, haverá imenso prejuízo ao calendário e ao planejamento escolar na Rede Estadual de Ensino”, finalizou o MPMT.


ATUALIDADES

Você já parou para analisar como esta sua saúde mental e a importância dela na sua vida?

No dia 28 de julho a ginasta Simone Biles tomou a decisão de retirar-se da competição individual geral nas Olimpíadas de Tóquio.O peso de ser a ginasta número 1 da atualidade não está só nas medalhas apoiadas em seu pescoço, mas também no corpo e na mente de Simone Biles. “Eu senti que elas precisavam avançar sem mim e elas fizeram...


REGIÃO OESTE

Vice-presidente da Comissão de Saúde da AL-MT, Dr. Gimenez encerra mês de julho com várias ações

O vice-presidente da Comissão de Saúde da Assembleia Legislativa de Mato Grosso (AL-MT), deputado estadual Dr. Gimenez (PV), encerra o mês de julho com várias ações que beneficia os municípios da região Oeste, com a entrega de veículos micro-ônibus em Figueirópolis d´Oeste, Porto Esperidião e São José dos Quatro Marcos.Para o município Quatromarquense, Dr. Gimenez destinou emenda parlamentar no valor...


OPERAÇÃO FARO FINO

PF desarticula organização voltada para o tráfico de drogas e cumpre mandados de prisão em Araputanga

A Polícia Federal, com apoio do Ministério Público do Distrito Federal e Territórios – MPDFT, deflagrou ontem, quarta-feira (28) a Operação Faro Fino, com o objetivo de desarticular uma organização criminosa voltada para o tráfico de drogas. Foram cumpridos dois mandados de prisão e dois mandados de busca e apreensão nas cidades de Cáceres e Araputanga, em Mato Grosso. As investigações...

Ver mais

O que é Urgente, não pode esperar! Entre em nosso grupo do WhatsApp e receba alertas de notícias.